Último suspiro de Edison vive num tubo de ensaio no Museu Henry Ford

0

Já alguma vez admirou tanto alguém que capturou o seu suspiro final num tubo de ensaio para manter em sua casa para sempre? Não? Bem, então não deve aceitar conselhos de vida de Henry Ford – o homem que deu ao mundo o primeiro automóvel movido a combustão, e o homem que o manteve o Último suspiro de Edison num tubo de ensaio.

A estranha história começa no final de 1800 quando Ford foi funcionário da empresa de Edison, onde ele era um engenheiro-chefe. No seu tempo livre, Ford estava a projectar uma invenção que iria mudar o mundo: o automóvel.

Um dia, numa festa a empresa, Ford finalmente teve a chance de aproximar o Edison e explicar-lhe a sua ideia. De acordo com Annetta Black da Atlas Obscura, Edison foi extremamente favorável à invenção do seu empregado, dizendo: "Meu jovem, é isso aí! Acertou! O seu carro é auto-suficiente e transporta sua própria central eléctrica."

Surpreendentemente, Edison não roubou a ideia de Ford, algo que provavelmente poderia ter feito, porque era o Edison. Em vez disso, os dois rapidamente se tornaram amigos e passaram muito tempo juntos no início de 1900 quando o negócio de Ford arrancou e todo mundo estava maravilhado por comprar os seus próprios carros.

Com os dois vendo uma imensa quantidade de sucesso, é lógico que os dois trocaram ideias e influenciaram os trabalhos um do outro ou, no mínimo, ajudaram-se mutuamente.

Quando a saúde de Edison começou a falhar, Ford levou-o para corridas de cadeira de rodas e outras atividades que normalmente BFFs (Melhores amigos para sempre) costumam fazer. De acordo com Black, num evento do 50º aniversário da lâmpada, Edison disse: "quanto a Henry Ford, palavras não são suficientes para expressar os meus sentimentos. Só posso dizer que, na mais completa acepção do termo, ele é meu amigo."

Então, quando Edison estava no seu leito de morte, em 1931, Ford queria uma última lembrança para recordar o seu amigo de mais de 30 anos. Enquanto a maioria de nós iria querer um relógio ou pertences pessoais, Ford foi um pouco mais extremo: pediu, declaradamente, ao filho de Edison, pediu a Charles para capturar a ultima respiração do seu pai antes de morrer num tubo de ensaio. (Podemos aqui fantasiar que ele queria, basicamente, a força vital de Edison ou energia ou qualquer outra coisa, mas na verdade era ainda o seu ultimo suspiro.)

Quando Ford morreu anos mais tarde, em 1947, os seus pertences foram doados ao Museu Henry Ford, em Dearborn, Michigan, onde ficaram armazenados numa caixa durante mais de 20 anos. Juntamente com muitos outros itens, os funcionários do Museu redescobriram o tubo de ensaio misterioso em 1978 e desde então tem estado em exposição. Foi nessa época que a expressão do 'último suspiro' começou a se proliferar.

[ScienceAlert]

Leave A Reply