Tubarão raro capturado em águas portuguesas

0

Apesar deste animal até ter uma vasta distribuição geográfica, nomeadamente ao longo de todo o Atlântico, “não é muito frequentemente capturado devido às profundidades a que vive”.

Foram investigadores portugueses que capturaram “um tubarão com características pouco comuns” em Agosto, na costa algarvia. Este animal trata-se de um macho da espécie tubarão-cobra (Chlamydoselachus anguineus), com cerca de 1,5 metros, assim revelou esta semana o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O tubarão-cobra ou também conhecido por tubarão-enguia, é uma espécie da família Chlamydoselachidae.

Esta espécie, que era considerada extinta, tem cerca de dois metros de comprimento e habita águas com profundidades que vão desde 600 a 1000 metros. A nível de pesca, tem uma importância económica bastante reduzida.

Este tubarão, é uma das criaturas mais antigas já encontradas vivas nos dias de hoje e já foram encontrados fósseis deste animal com cerca de 80 milhões de anos.

“Este tubarão, um verdadeiro “fóssil vivo”, possui um corpo longo e esguio e uma cabeça que lembra a de uma cobra. Apresenta também uma dentição muito particular, sendo a sua biologia e ecologia pouco conhecidas”, explicou o IPMA em comunicado.

Ainda segundo o comunicado, e apesar de ter uma vasta distribuição geográfica, ao longo de todo o Atlântico, até ao Índico, “não é muito frequentemente capturado devido às profundidades a que vive”. O presente exemplar foi capturado aos 700 metros de profundidade.

Os investigadores do IPMA e do Centro de Ciências do Mar e da Universidade do Algarve estavam a bordo de um arrastão comercial, no âmbito do projecto MINOUW – “Iniciativa para a minimização de capturas das capturas indesejadas nas pescarias europeias”.

Um exemplar fêmea foi filmado em 24 de Janeiro de 2007 numa rara aparição em águas pouco profundas do litoral do Japão, próximo da cidade de Shizuoka. No entanto, o exemplar encontrava-se em péssimo estado físico e morreu algumas horas após ser recolhido.

Em 21 de Janeiro de 2015, um segundo exemplar foi também capturado, desta vez por um pescador nas águas de Victória, Austrália.

Já tinha também sido apanhado um exemplar no Algarve, no dia 18 de Agosto de 2016, a uma profundidade de 1200 metros.

Leave A Reply