Toda a Evolução do Universo em Menos de 3 Minutos

0

Há mais de 13 biliões de anos, todo o Universo estava compactado numa singularidade menos densa que um protão. Não existiam planetas, nem estrelas, nem mesmo as leis da física. Mas como chegou daí até ao aspecto dos dias de hoje?

Neste vídeo, o Business Insider tenta sintetizar tudo o que sabemos acerca de evolução do Universo até agora em menos de 3 minutos. E temos de dizer, a história resumida de como chegamos até aqui é simplesmente fantástica.

Vamos começar no início, pela inflação. Provavelmente já ouviu falar bastante disto (*tossir* Big Bang *tossir*) mas é complicado interiorizar o quão rápido o Universo se expandiu no início.

Pense desta forma: o crescimento do Universo nessa primeira minúscula fracção de segundo é comparável a uma formiga se expandir para a dimensão da Via Láctea quase instantaneamente.

À medida que se expandiu, o Universo arrefeceu, mas continuava a ser demasiado quente para os átomos se formarem, portanto durante os primeiros minutos era constituído por uma escaldante sopa abrasadora de quarks e glúons – os blocos de construção essenciais da matéria.

Três minutos depois da inflação, as coisas arrefeceram o suficiente para os quarks e os glúons se combinarem para formar protões e neutrões e eventualmente os primeiros átomos. É aí que começamos a ver os primeiros núcleos de hidrogénio, hélio, e lítio emergirem – mas ainda está muito calor para conseguirem capturar electrões, portanto todos os electrões continuam a circular livremente, embatendo contra os fotões, o que dispersa a luz tornando o Universo opaco.

Esse estado opaco e ionizado durou algum tempo… 47 000 anos para sermos precisos. Mas depois ocorreu uma mudança. A matéria é agora mais prevalente do que a radiação, o que significa que aglomerados de matéria densa – as sementes das estrelas – se podem começar a formar.

Mais de 300 000 anos mais tarde, o Universo FINALMENTE torna-se frio o suficiente para que o núcleo atómico consiga começar a capturar electrões. Isto significa que o Universo se torna transparente, e o mais fascinante de tudo é que conseguimos hoje em dia detectar luz dessa era – é a luz mais primordial que alguma vez conseguiremos ver.

Mas continuamos a estar nos dias do principio. Durante os 450 milhões de anos seguintes, as primeiras estrelas e galáxias começam a se formar.

Veja o vídeo abaixo para obter uma visão geral de até onde chegámos desde aquela pequena singularidade há 13.8 biliões de anos atrás. No mínimo, é incrível considerar tudo o que teve de acontecer apenas para o nosso pequeno planeta, e nós próprios, existirmos.


(Vídeo em Português)

[ScienceAlert]

Comment