Sexta-Feira poderá ver em directo os últimos momentos de Cassini

0

A sonda espacial da NASA viajou em redor de Saturno durante quase duas décadas, enviando para a Terra milhares de fotografias fascinantes. Chegou agora o momento desta efectuar a derradeira manobra sobre o Planeta dos Anéis.

Este último voo da Cassini pode ser acompanhado em directo através dos serviços online da NASA, uma vez que toda a missão faz parte da aplicação Eyes Visualization.

Assim, o último mergulho da Cassini fará com que a sonda se incendeie nos céus de Saturno. Nestes últimos voos, após cinco mergulhos com sucesso com o mesmo objectivo, este equipamento espacial será capaz de recolher dados inéditos relativos à temperatura, auroras boreais, vórtices polares e outras características do planeta.

Para além de toda a informação e fotografias que a Cassini já enviou para a NASA ao longo deste tempo. A sonda efectuará esta última abordagem entre 1.710 e 1.630 quilómetros acima das nuvens que compõem o céu do planeta, num momento que a NASA apelida de “grand finale”. O “suspiro” final da Cassini será a desintegração, como se fosse um meteoro.

Após ter gasto praticamente todo combustível disponível para exploração do planeta dos anéis, está previsto que a Cassini seja propositadamente dirigida para a “morte” na atmosfera de Saturno, numa tentativa de manter as luas do astro “virgens” para novas e futuras missões. E espera-se ainda que este derradeiro voo apresente dados nunca antes analisados sobre o que se passa nas 22 órbitas existentes entre o planeta e os seus anéis.

Assim que Cassini chegar a uma altitude onde a densidade atmosférica é cerca de duas vezes a encontrada até então, o que faz com que os propulsores deixem de conseguir manter as antenas apontadas para Terra, a sonda perde contacto com a Terra. Tudo será observado pelos especialistas da NASA a partir de dois importantes observatórios situados em território norte-americano.

São eles o Goddard Space Flight Center, em Greenbelt, no estado de Maryland, e o IRTF (Infrared Telescope Facility), localizado no Havai e contando com o apoio do observatório W. M. Keck, também nesse país.

“Vamos estar no terreno e atentos, registando todos os dados que a Cassini nos enviará durante este último voo, aprendendo ainda mais sobre as condições que se verificam em Saturno”, confirmou Don Jennings, cientista da NASA no Goddard Space Flight Center, também ele responsável pelo instrumento de observação espacial Composite Infrared Spectrometer.

Na passada Segunda-Feira, 11 de Setembro, a sonda executou um voo rasante a Titã, a maior lua de Saturno, numa manobra a cerca de 119 mil km acima da superfície do astro.

Esta deslocação serviu acima de tudo para reduzir a velocidade do dispositivo espacial, condição essencial à recolha de informação com eficácia, e até ao derradeiro momento de ligação entre a sonda e as antenas espaciais da NASA.

Leave A Reply