Samsung explica o problema com os Note7

0

Desde que os primeiros incêndios nos Note7 ocorreram, existiram várias teorias para tentar explicar a situação anormal que afectou o topo de gama da Samsung.

A bateria dos telemóveis foi quase sempre apontada como a principal causadora destes incidentes. No entanto, segundo uma nova teoria, parece que não foi essa a causa.

Quando fez a recolha definitiva dos Note7 que ainda estavam no mercado, mesmo tendo havido clientes que preferiram manter os equipamentos, a Samsung prometeu revelar a causa de todos os problemas que afectaram este produto. A opinião geral (e da própria empresa Samsung) era de que a construção destas baterias tinha um defeito e que com o passar do tempo, este acabaria por desencadear os tais incêndios e explosões que ocorreram.

A falta de espaço poderá ter sido o problema e se esta era o motivo aceite, há uma nova teoria que vem apontar o dedo não às baterias, mas sim à própria estrutura do Note7 e ao pouco espaço que estava reservado para este componente, expondo-o assim a pressões anormais.

A Instrumental encarregou-se de rever estas questões, avaliou assim o desenho do Note7 e calculou o espaço necessário para cada um dos diferentes componentes que o compunham. A conclusão a que chegaram foi que, para albergar todos os diferentes elementos houve uma redução no espaço dedicado à bateria, que deixou de ter a normal folga para a bateria crescer, uma vez que as baterias expandem naturalmente.

Mas para além desta conclusão imediata, a Instrumental vai ainda mais longe e afirma também que, caso não fosse feita a recolha dos equipamentos, estes acabariam por ter ainda mais problemas nu futuro próximo. As baterias expandem, dilatam pelo efeito normal da sua utilização, faz parte do processo de recargas ao longo da vida do equipamento, ou seja, sem o tal espaço “extra”, acabariam por rebentar.

O problema poderia ter sido sem dúvida resolvido com uma bateria mais pequena, mas isso acabaria por inviabilizar parte da tecnologia que a Samsung criou, tornando o Note7 num equipamento sem as mesmas capacidades que se viram inicialmente e se esperavam deste produto.

Tudo isto ainda não é uma certeza absoluta, mas esta nova informação vem lançar ainda mais luz sobre as causas dos problemas que afectaram o Note7 e que bastantes prejuízos trouxeram à Samsung, mesmo depois das baterias terem sido substituídas.

Leave A Reply