Robôs modulares que assumem várias formas

0

Foram os investigadores na Universidade Livre de Bruxelas, que conseguiram que fossem as máquinas a decidir qual a melhor forma de se agruparem afim de desempenharem várias tarefas, criando assim robôs modulares capazes de assumir formas consoante as necessidades.

Um dos autores do projecto, Anders Lyhne Christensen, do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, que disse à agência Lusa que as máquinas “comunicam a vários níveis e os módulos podem ser maiores ou menores”.

Os autores do estudo, publicado na revista Nature, conseguiram construir robôs com rodas, que podem, no entanto, usar outros meios de locomoção, que se ligam uns aos outros e criam “um único robô, com um corpo que responde ao que reconhece no mundo” e que é capaz de “sentir o mundo e tomar decisões”.

Estes pequenos módulos unem-se uns aos outros e podem assumir diversas formas, que são decididas por um dos módulos, programado para ser “o cérebro” de todo o conjunto.

No estudo, os autores afirmam que se aproximam de “robôs que podem autonomamente mudar o seu tamanho, forma e função”, propriedades que “vão além de qualquer máquina ou organismo biológico existente”.

Anders Lyhne Christensen afirmou ainda que, nas experiências realizadas em Bruxelas, se colocou o robô composto pelas várias unidades a mudar de forma para melhor se adaptar aos obstáculos, ou a tarefas como por exemplo, transportar um volume.

Quando separados, todos os módulos têm capacidade de ser “cérebro” e quando o “corpo” detecta que algum dos módulos está estragado, porque não emite sinais a comunicar com os outros, pode ejectá-lo do conjunto e substituí-lo por outro módulo saudável.

Em relação a aplicações futuras deste tipo de sistemas, Anders Lyhne Christensen projectou que poderiam ser usados na saúde, por exemplo, com minúsculos robôs postos a circular na corrente sanguínea, capazes de se unir para realizar procedimentos cirúrgicos e progredir pelo corpo humano em várias formas diferentes, de acordo com a tarefa e o ambiente que os rodeie.

Leave A Reply