É Quase Certo Que Não Estamos Sozinhos no Universo

0

A existência de vida extraterrestre é um dos mais acesos debates em ciência. Quando perguntamos “Será que estamos sozinhos?”, estamo-nos a perguntar como a própria vida começa, e qual é o nosso lugar e função no universo.

Um novo documento, publicado no Astrobiology, utiliza as descobertas de exoplanetas mais recentes para estimar a possibilidade de outras civilizações tecnologicamente avanças terem existido. O limite pessimista dos autores é que a humanidade é única se as possibilidades de uma civilização avançada existir num planeta for menos do que uma chance em cerca de 10 biliões de triliões.

“Uma em 10 biliões de triliões é incrivelmente baixo. Para mim, implica que outra espécie inteligente, e capaz de produzir tecnologia tenho existido muito provavelmente antes de nós”, disse Adam Frank, autor principal deste estudo, numa declaração.

“Pense nisto desta maneira. Antes do nosso resulta, você seria considerado um pessimista se imaginasse que a possibilidade de uma civilização se desenvolver num planeta habitável eram, digamos, uma em um trilião. Mas mesmo essa hipótese, uma chance num trilião, implicaria que o que aconteceu na Terra com a humanidade tenha de facto acontecido cerca de 10 biliões de outras vezes ao longo da história cósmica [tendo em conta o número estimado de estrelas e planetas no universo]”.

Esta probabilidade foi alcançada através da utilização da famosa Equação de Drake, um argumento probabilístico para saber o quão possível será a vida inteligente. A Equação de Drake utiliza quatro argumentos probabilísticos para obter uma estimativa do número de civilizações na Via Láctea. O propósito nunca foi providenciar um numero preciso, mas sim estimular o debate acerca da vida alienígena.

drank-equation

No documento, Frank e o seu colega Woodruff Sullivan simplificaram a equação significativamente. O numero de civilizações avançadas é igual ao numero de planetas habitáveis num certo volume do universo multiplicado pela probabilidade de uma espécie tecnológica ascender num destes planetas.

A probabilidade é obviamente uma questão de conjectura, mas ao esperar que os humanos estivessem sozinhos, eles foram capazes de providenciar o seu limite pessimista.

“De uma perspectiva fundamental, a questão é ‘já aconteceu em algum sitio antes?’” disse Frank. “O nosso resultado é a primeira vez que alguém conseguiu desenvolver uma resposta empírica para a questão e é altamente provável que nós não representamos a única altura e lugar onde uma civilização avançada se desenvolveu”.

[IFLScience]

Leave A Reply