Os sons do espaço e o mistério alimentado por Yang Liwei

0

Yang Liwei, foi o primeiro chinês a ir ao espaço no ano de 2003, enviado pelo programa espacial da China. Numa uma entrevista recente a uma rede de televisão chinesa, divulgada pela agência de notícias Xinhua, Yang contou que ouviu um ruído semelhante a “um martelo de madeira a bater contra um cubo de ferro”.

Esta notícia tem sido sempre um mistério ao longo destes anos uma vez que nunca foi encontrada nenhuma explicação oficial para o sucedido. Na altura, Yang ficou um pouco nervoso e decidiu olhar pela escotilha da nave procurando a fonte do ruído, mas nunca encontrou uma explicação para aquele som misterioso.

Por mais que tentasse, nunca conseguiu decifrar o que era, e o astronauta nunca conseguiu reproduzir o som na Terra, de forma a que o pudessem ajudar a encontrar uma resposta lógica para o que tinha ouvido.

Como era de se esperar, a história sobre o barulho misterioso no espaço chamou a atenção dos meios de comunicação chineses, afinal, quem ou o quê, batia na nave de Yang quando ele estava sozinho, a milhares de quilómetros da Terra?

Surgiram algumas teorias na procura de explicações, uma delas foi a de que, como as ondas sonoras se propagam mecanicamente como uma vibração e precisam de um meio (líquido, sólido ou gasoso) para viajar, podem ter criado este som.

Outro exemplo disso seria o som de um trovão que viaja pelo ar, ou do sonar, que o faz na água.

“Apesar do espaço interplanetário (e interestelar) não ser completamente vazio, as moléculas de gás e os grãos de poeira são tão dispersos que não formam um meio contínuo que permita que as ondas sonoras sejam transmitidas directamente”, disse a professora Monica Grady para o site académico The Conversation, do Departamento de Ciência Planetária e Espacial da Universidade Aberta do Reino Unido.

“Se estava a bater, poderia ser algo físico que ficou preso à nave que levava o astronauta”, explicou à BBC o professor Goh Cher Hiang, especialista na Universidade Nacional de Cingapura, esclarecendo que esta é apenas uma especulação.

Mas o seu colega Wee-Seng Soh, tem uma explicação diferente, ele sugere que o ruído pode ter sido “o resultado da expansão ou contracção da nave, especialmente quando a temperatura do exterior da mesma pode ter mudado consideravelmente uma vez que entrou em órbita”.

Outra explicação seria a pressão do ar, ainda assim, segundo a imprensa chinesa, o som foi também ouvido posteriormente por astronautas que participaram em missões entre os anos de 2005 e 2008.

Yang falou da sua experiência aos seus sucessores, para que eles não fossem surpreendidos ou se preocupassem com o som que tinha ouvido.

Desta forma, e embora nunca tenha encontrado uma explicação precisa, Yang acabou por se render e definir este som como “um fenómeno normal”.

No passado mês de Novembro, quando o astronauta compareceu numa actividade realizada numa escola na cidade de Ningbo, na província chinesa de Zhejiang, os alunos colocaram algumas questões sobre este tema.

Yang disse que a sua melhor explicação é a de que o som foi consequência da reacção da pressão do ar, que provocava mudanças na estrutura da nave espacial ao sair da atmosfera terrestre e ir em direcção ao espaço, segundo informou a Xinhua.

Acrescentou ainda que o ar que escapa dos objectos dentro da cúpula espacial também poderia causar o ruído e que ouvir som no espaço não é nada incomum, da mesma forma que não é incomum encontrar uma explicação para eles.

Em 1969, durante a missão da NASA que orbitou a Lua, os astronautas descreveram um estranho som ao passarem pelo lado escuro do satélite e que não conseguiam explicar. Descreveram-no dizendo que parecia um assobio, que entenderam como a música do espaço.

A NASA disse posteriormente que seria apenas uma interferência.

Os dias de Yang como astronauta ficaram para trás há muito tempo, passou 21 horas, 22 minutos, 45 segundos no espaço, e integra agora a PLAAF (People’s Liberation Army Air Force), como Major General.

Leave A Reply