Novo tecido consegue criar energia através dos seus movimentos

0

Um novo tipo de tecido interlaçado criado com nanotubos de carbono revestidos a gel, poderá tornar possível criar energia a partir dos movimentos. Normalmente, todas a energia que despendemos a nos movimentar, serve única e exclusivamente para isso, mas um novo tipo de tecido pode estar prestes a muda-lo, o material conhecido como twistron, já demonstrou em laboratório ser bastante promissor, mas poderá em breve ser revolucionário na utilização dos nossos movimentos para gerar energia.

Há muito tempo que se ambiciona utilizar pequenas quantidades de energia geradas através das variações de temperatura ou ondas rádio e até mesmo o movimento, para carregar pequenos gadgets ou equipamentos electrónicos.

Faz todo o sentido num mundo rodeado pela tecnologia, e em que existe tanta energia sob tantas formas, faz todo o sentido a utilização de uma tecnologia similar para converter toda esta energia desperdiçada em energia da qual se possa tirar partido.

Apesar de o twistron poder não ser a resposta final, é certamente um passo na direcção correcta. O mecanismo responsável pela capacidade de gerar electricidade é bastante simples, tudo se deve um composto de átomos de carbono enrolados sob a forma de tubos, com cerca de 10 000 vezes menos espessura do que um cabelo humano, depois diversos tubos destes são interlaçados e torcidos por forma a torna-los elásticos.

Depois disso, estes são revestidos por uma solução de electrólito, como por exemplo a água salgada, e com o simples movimento influenciam a alteração do formato dos nanotubos de carbono, gerando então electricidade. A energia gerada pelo tecido é incrível, quando analisada a simplicidade da tecnologia. Com cerca de 1kg deste tecido, a se movimentar cerca de 30 vezes por segundo, conseguimos gerar uns incríveis 250 watts de electricidade, o suficiente para manter um computador desktop a trabalhar ou mesmo um aquecedor de pequeno porte.

Tudo isto não seria a coisa mais eficiente do mundo, se fosse necessário gerarmos esse movimento, mas o ponto fulcral neste caso, é que nós já geramos o movimento necessário a toda a hora.

Nos testes elaborados, os cientistas coseram este tecido a um t-shirt, e descobriram que a simples respiração era capaz de gerar energia. Para já tudo se prende com baixar os custos de produção do twistron, mas iremos talvez no futuro próximo poder finalmente carregar os nossos telefones apenas com o movimento, teremos de esperar e ver.

Comment