Novo estudo diz que o ‘próprio medo’ pode ajudar a restaurar os ecossistemas

0

Leões, lobos e outros grandes carnívoros são animais assustadores que impõe medo em seres humanos e outros animais. Um novo estudo liderado pela Western University demonstra que o medo que esses predadores de topo inspiram pode ter efeitos em série pela cadeia alimentar fundamental para a manutenção de ecossistemas saudáveis, tornando a conservação de grandes carnívoros mais valiosa, dado o significativo 'serviço ao ecossistema' que o medo deles fornece.
Estas descobertas feitas por Liana Zanette da Western e o estudante de doutoramento Justin Suraci, em colaboração com Lawrence Dill da Simon Fraser University e a Raincoast Conservation Foundation, foram publicadas recentemente na Nature Communications.

Zanette, um professor de biologia na faculdade de Ciências da Western, Suraci e os seus colegas, demonstraram experimentalmente pela primeira vez que o medo dos grandes carnívoros é poderoso o suficiente para ter efeitos até o fim da cadeia alimentar e restaurar este medo em si pode reverter os efeitos nefastos decorrentes da perda crescente global de grandes carnívoros.

Os seres humanos temem os grandes carnívoros porque eles constituem uma ameaça real e percebida à vida humana e aos meios de subsistência, é por isso que as acções de conservação, como a reintrodução de lobos ao Parque Nacional de Yellowstone, são tão controversas. Os proponentes argumentam que a presença de grandes carnívoros criam uma paisagem 'de medo' necessário para impedir que as suas presas, como veados, coiotes e guaxinins, possam comer tudo à sua volta, mas os oponentes contrapõem que as evidências de tal são fracas. Este estudo inovador resolve definitivamente este debate.

Os guaxinins das ilhas do Golfo da British Columbia estão a devastar os pássaros canoros em terra e os intertidal crabs e peixes no oceano. Os pesquisadores suspeitam que isto seja principalmente devido ao facto dos guaxinins terem pouco a temer, já que a maioria dos grandes carnívoros que caçam guaxinins (ex. pumas e lobos) foram eliminados há um século atrás.

Para manipular experimentalmente o medo, a equipa reproduziu sons ameaçadores dos grandes carnívoros (ou sons não ameaçadores) através colunas ao longo de vastas distâncias da costa durante meses. O medo inspirado por simplesmente ouvir os sons dos grandes carnívoros reduziu drasticamente o tempo que os guaxinins gastavam a se alimentar e diminuiu o seu impacto sobre as suas presas. Isto teve efeito de cascata sobre todo o ecossistema.

[PHYS.org]

Leave A Reply