Nova caneta digitaliza o seu bloco de notas enquanto escreve nele

0

Por mais conveniente e fácil que seja fazer tudo online nos dias de hoje, nada irá substituir o sentimento de escrevinhar notas, esboços e desenhos aleatórios naquele velho, e gasto bloco de notas que transporta consigo para todo o lado.

O problema? O que vai para o seu bloco de notas, fica no seu bloco de notas. Claro, pode tirar uma foto com o seu telemóvel e enviar por email, página a página, e com nenhuma garantia que vá chegar algo de jeito ao destino, mas e se quiser editar aquilo que acabou de escrever, ou mostrar a alguém online enquanto está a desenhar?

O gigante dos blocos de notas, Moleskine, criou uma solução espetacular para isso. Aliando-se aos criadores da Neo Smartpen, eles vendem agora o Smart Writing Set, que combina um bloco de notas Moleskin feito para o efeito e uma Smartpen que digitaliza as suas notas e desenhos quase em tempo-real e publica-as online de forma editável.

Como Andrew Liszewski do Gizmodo explicou, a Moleskine Pen+ vem equipada com uma câmara incorporada que segue os movimentos da ponta da caneta nas páginas do bloco de notas.
Em vez das suas habituais páginas com linhas, as páginas do bloco de notas estão cobertas por uma grelha baseada em pontos especial, que permite à caneta saber exactamente onde a ponta da caneta está em relação à página.

Para além desta grelha, a que os criadores chamaram tecnologia nCode, o bloco de notas não foi alterado em mais nenhum detalhe, não tem um digitalizador ou tecnologia embutida nele, portanto não irá sentir que está a escrever num pseudo-tablet ou assim.

moleskin

Por isso assim que tiver o seu bloco de notas e a smartpen na mão, como é que na verdade inicia o processo de digitalização? Como Liszewski explica, tudo isso está coberto pela Aplicação Moleskine Notes.

“Utilizando uma ligação Bluetooth à Pen+, tudo o que escreve ou desenha no “Papel Tablet” é digitalizado quase em tempo-real, e até tem um atalho no topo superior direito de cada página para enviar automaticamente uma versão digital do conteúdo da página”, diz ele.

A aplicação permite que converta as suas notas manuscritas para texto editável online, que mostre online a alguém os desenhos enquanto os desenha no bloco de notas para que possam tecer comentários em tempo-real, e pode gravar áudio enquanto escreve para ir junto como o seu texto ou desenhos.

Se é alguém que não tem muita cobertura Wi-Fi, até pode ‘carregar’ grande parte do seu bloco de notas para a pen para ser digitalizado mais tarde.

“Se o seu dispositivo conectado está perdido algures para o fundo de uma mala e precisar de tirar uma nota rápida, a Pen+ também tem espaço suficiente nela própria para capturar cerca de 1000 páginas de notas antes de terem de ser transferidas para a aplicação” diz Liszewski.

O grande senão é apenas o preço, que são 175€ pela smartpen, bloco de notas compatível e a aplicação. Os blocos de nota de substituição custam 27€, mas pode sempre copiar a grelha de tecnologia nCode e imprimir as suas próprias páginas para uma solução mais barata.

Se tiver uma letra manuscrita horrível e não vir qualquer motivo para trocar o seu teclado pela muito menos eficiente caneta, existem algumas vantagens em reservar a escrita manuscrita para algumas tarefas. A pesquisa mostrou-nos que as crianças que escrevem à mão aprender a ler mais rápido, e são melhores em reter informação e ter novas ideias.

E estudos demonstraram também que por causa do tempo que leva a escrever manualmente algo contra datilografa-lo, acabamos por pensar mais no que estamos a escrever.

Como reportamos anteriormente, quando os pesquisadores nos Estados Unidos analisaram as notas manuscritas e datilografadas de alunos de universidade, chegaram à conclusão que as notas do bloco de notas eram significativamente mais esclarecedoras do que as notas digitais, e ajudavam mais os alunos a memorizar a lição de forma eficiente.

“Nós não escrevemos tão rápido à mão como datilografamos hoje em dia, mas as pessoas que datilografam tendem a transcrever grandes partes da lição textualmente”, disse ao The Atlantic a professora assistente na Princeton University, Pam Mueller.

Portanto mesmo que não esteja interessado em adquirir o pequeno gadjet da Moleskin, faça um favor ao seu cérebro e pegue num bloco de notas barato e num lápis de qualquer modo.


(Vídeo em Inglês)

[ScienceAlert]

Leave A Reply