Nova camada do Manto da Terra detectada

0

Um grupo de cientistas pensa ter descoberto o motivo por detrás da misteriosa série de terramotos entre as ilhas Fiji e a Austrália, e parece que, tudo se poderá dever a uma nova camada do manto da Terra, que está escondido por debaixo da Ásia este. Este grande pedaço da Terra ancestral, emergiu por debaixo da pequena ilha de Tonga no pacífico, que está localizada precisamente na zona do planeta onde ocorrem os tremores de terra mais profundos, e desloca-se sensivelmente à mesma velocidade das placas à superfície.

“Basicamente, 90 porcento da sismicidade de profundidade da Terra (a mais de 500 km de profundidade) ocorre na zona de Tonga onde foi encontrado o grande pedaço de placa”, disse o geologista Jonny Wu da University of Houston ao The Guardian.

O manto da Terra tem uma espessura de cerca de 3000 km’s e movesse como um líquido extremamente espesso mesmo por baixo dos nossos pés, e quando o manto se move, também o faz a crosta, causando alterações nas placas tectónicas.

Por vezes, as placas afastam-se umas das outras, abrindo uma brecha no fundo do oceano, e inundando-o de magma escaldante directamente do manto, mas de outras vezes, as placas comprimem-se umas contra as outras, o que causa terramotos, cordilheiras, vulcanos e trincheiras. E claro, existe também a hipótese de as placas passarem por um processo chamado de subdução, no qual uma das placas, é empurrada para baixo pela outra, em direcção ao manto liquido por baixo.

Graças a uma nova tecnologia de imagem, que utiliza dados de terramotos para analisar a estrutura interna da Terra, a equipa de Wu descobre o que aparentam ser múltiplas placas tectónicas que foram subduzidas há cerca de 50 milhões de anos.

Estranhamente, as placas foram encontradas na zona de transição, entre a parte superior e inferior do manto, algures entre os 400 e os 660 km de profundidade, o que vai conta a lógica, que nos diz que as placas deveriam ter se dirigida para o núcleo, mas em vez disso, estas estão a agir, como o fariam à superfície.

“Tirando a diferença de profundidade a que se encontram, estas placas pouco diferem em termos de conhecimento das placas tradicionais”, explicou Alexandru Micu à ZME Science. “Um princípio crucial das placas tectónicas é o da isostasia, que basicamente diz que … podemos, em teoria, delinear uma área como sendo ‘a crosta’, já que a maioria das placas irá se movimentar em torno desta elevação média, e não existe magma livre por cima, e ‘o manto’, que está por baixo desta crosta”, acrescentou.

Isto são boas noticias, uma vez que traz uma explicação para o fenómeno conhecido como terramotos Vityaz, que ocorre precisamente nesta área, e apesar de mais pesquisa ser necessários, este é um grande primeiro passo para entender a fonte dos terramotos de profundidade na Terra.

Comment