NASA Anunciou a Descoberta de Mais de 1200 Novos Exoplanetas

0

A NASA anunciou um grande avanço no seu esforço por encontrar planetas fora do Sistema Solar, levando-os a revelar 1284 novos planetas descobertos pelo seu telescópio espacial Kepler. Isto é mais de o dobro do número de planetas que tinha encontrado até agora, que era cerca de 1041.

As conotações são importantes. Essencialmente, significa que existem bastantes mais planetas de todos os tamanhos escondidos nos dados de telescópio caçador de planetas, desde planetas com o tamanho da Terra, até gigantes gasosos. E isto aumenta dramaticamente o número de mundos que temos para estudar na nossa galáxia.

“Este anúncio mais do que duplica o numero de planetas confirmados pelo Kepler”, disse numa declaração Ellen Stofan, cientista chefe na Sede da NASA em Washington. “Isto traz-nos esperança de que algures lá fora, junto a uma estrela parecida com a nossa, poderemos encontrar outra Terra”.

kepler_fig2_0

O Kepler, que foi lançado em 2009, encontrou milhares de candidatos a planetas até agora. Mas por forma a confirmar que uma observação é efectivamente um planeta, e não uma anomalia, é necessário repetir as observações com o Kepler ou outro telescópio.

Mas um novo método de análise, descrito num estudo dirigido por Timothy Morton da Princeton University em New Jersey, é revolucionário. Permite que os astrónomos determinem de forma bastante mais rápida se um exoplaneta é real ou não com uma precisão de mais de 99 porcento. Aplicar esta análise aos dados existentes do Kepler, da sua missão inaugural e não da versão mais recente K2, revelou estes novos 1284 planetas. Outros outro 1327 foram considerados candidatos promissores, enquanto 707 outros foram descartados como fenómenos astrofísicos.

“Os candidatos a planetas podem ser vistos como migalhas de pão”, disse Morton. “Se deixar cair algumas migalhas no chão, poderá apanhá-las uma a uma. Mas, se derramar um saco cheio de pequenas migalhas, irá necessitar de uma vassoura. Esta análise estatística é a nossa vassoura”.

kepler_fig10

Entre os planetas encontrados pelo Kepler até agora encontram-se planetas potencialmente habitáveis como Kepler-452b e Kepler-186f, dos quais conhecemos cerca de três dúzias de candidatos, apesar de ainda não termos encontrado nenhum mundo exactamente igual à Terra – do mesmo tamanho, e orbitando uma estrela similar ao nosso Sol, na mesma órbita.

Mas os últimos conjuntos de planetas revelaram centenas de mundos rochosos, incluindo alguns – como um novo mundo chamado Kepler-1229b (no diagrama acima) – que são similares no tamanho à Terra, e na zona habitável da sua estrela, que merecem a nossa atenção.

O Kepler é responsável pela vasta maioria de todos os exoplanetas que encontrámos até agora, e esta ultima técnica de análise ainda o torna mais isolado como o nosso principal caçador de planetas. Mas novos telescópios como o Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) poderá ajudar ainda mais os astrónomos. E instrumentos como o James Webb Space Telescope (JWST) no futuro permitirão aos astrónomos analisar em maior detalhe do que nunca antes estes mundos.

[IFLScience]

Leave A Reply