Misteriosos sinais de rádio extraterrestres

0

Não são novidade e durante décadas foram reportados e recolhidos inúmeros sinais de rádio. Sinais esses que, supostamente, tinham origem extraterrestre. Mas, com o passar do tempo e a evolução da tecnologia, muitos desses sinais foram sendo identificados como terrestres, um dos exemplos mais engraçados, foi o “sinal extraterrestre do micro-ondas” que, durante 17 anos intrigou os astrónomos australianos e só em 2015 foi descoberta a sua verdadeira proveniência.

No entanto existem diversas rajadas rápidas de rádio, misteriosas e potenciais “sinais extraterrestres”, que não são acompanhadas por fluxos de neutrino, e essas sim, estão a intrigar verdadeiramente os astrónomos. Essas rajadas enigmáticas estão explicadas num artigo publicado no Astrophysical Journal.

Há relativamente pouco tempo, os cientistas conseguiram encontrar traços de nove erupções semelhantes à de 2007, cujo estudo revelou que podiam ser de origem artificial, não sendo de todo excluída assim, a possibilidade de serem sinais de civilizações extraterrestres, também devido à periodicidade de sua estrutura.

Mais recentemente, alguns astrofísicos descobriram que os sinais FRB são repetitivos, encontrando dessa forma outras propriedades extraordinárias dos mesmos, incompatíveis com as versões sobre origem natural das erupções.

Vandenbroucke e os seus colegas observaram as erupções com o telescópio de neutrinos IceCube, no Polo Sul, e descobriram novas provas de que os buracos negros e as fortes explosões de estrelas, não podem originar estes sinais de rádio enigmáticos.

“Ao realizarem observações, os cientistas basearam-se num princípio simples — a maioria das “explosões espaciais” é acompanhada por grandes emissões de neutrino. Deste modo, se as rajadas FRB fossem originadas naturalmente, seriam acompanhadas por um fluxo de neutrino de força igual.

Em nenhum dos casos, o radar especial detectou traços destas partículas “que sempre escapam” (neutrino). Esse facto veio provar que as erupções de raios gama, super-novas e buracos negros, não podem ser as fontes destes “sinais extraterrestres”.

Por sua vez, Vandenbroucke comentou, após esta descoberta, que os cientistas estão mais próximos de descobrir a origem destas erupções. Estas estão mais misteriosas, pois a partir de agora uma série de astros não podem ser considerados as fontes.

Esta descoberta da “não fonte”, está a deixar os cientistas perplexos, uma vez que aumentam consideravelmente as questões sem resposta. Agora, dada a situação, a equipa do telescópio IceCube planeia realizar mais uma série de observações por erupções FRB para detectar as suas fontes de origem.

Leave A Reply