Mais de 350 ilhas que estão a desaparecer do mapa

0

A tribo indígena Guna no Panamá, vive há décadas no que sempre chamou de casa, as ilhas San Blas. Mas agora, todo o arquipélago está em risco de sucumbir às profundezas do mar, em apenas algumas décadas. San Blas é um arquipélago que reúne mais de 350 ilhas que, agora, se vêm ameaçadas, explica o BBC.

Colleen Hagerty, jornalista do BBC, conta como pegou na sua mala e saiu à descoberta de San Blas, no seu pequeno barco, por sugestão de amigos e residentes. Desde logo foi avisado para não esperar grandes luxos e foi em vez disso, acolhido pela tribo Guna, que vive desde sempre naquele local.

As ilhas são autonomamente governadas pelos Guna, que exercem soberania sobre todas as ilhas do arquipélago, ainda que habitem apenas em cerca de 100 delas. Uma das suas políticas é o forte controlo do turismo, onde mesmo em viagens de um só dia, é necessário mostrar o passaporte.

O jornalista Collen explicou que o facto de não haver prédios, nem qualquer tipo de construções mais avançadas, permite que tanto os habitantes como os turistas consigam ver, de forma desafogada, todas as ilhas.

Colleen explicou ainda, que os recifes são uma das grandes matérias-primas da tribo Guna, porém, uma grande quantidade de recifes está a desaparecer, o que leva a que o perigo das ilhas sucumbirem às forças do mar seja cada vez mais evidente.

De acordo com a Smithsonian Tropical Research Institute, o aumento do nível do mar à volta de San Blas tem aumentado de forma muito rápida, nas últimas décadas. Isto, juntamente com a má gestão de recursos, como o desgaste dos recifes, já provocou uma forte erosão da costa marítima. A questão é de quando é que a tribo terá de abandonar as ilhas.

A instituição sem fins lucrativos Displacement Solutions, que tem como objectivo ajudar os povos deslocados devido ao clima, estima que 28 mil pessoas precisarão de ser transferidas do arquipélago para o continente e defende ainda que esta transferência deveria começar de imediato.

Os Guna são um povo que vive do turismo e da pesca, com a deslocação para o continente, o seu sustento fica em dúvida, assim como onde será colocado este povo e se poderá ou não voltar às ilhas.

Leave A Reply