Investigadores criaram um penso inteligente activado por remoto

0

Este curativo tem um microprocessador do tamanho de um selo e pode ser controlado à distância simplesmente através de um smartphone ou outro dispositivo compatível. Esta inovação tem como principal objectivo evitar infecções e reduzir o tempo de cicatrização.

O penso inteligente foi desenvolvido por cientistas da Universidade de Nebraska-Lincoln, da Harvard Medical School e do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), ele é constituído por fibras de algodão condutoras, revestidas por um gel no qual são incorporados antibióticos, elementos para regeneração dos tecidos, analgésicos entre outras medicações.

Cada uma das fibras pode ser carregada individualmente com um fármaco específico necessário a cada tratamento. Um microcontrolador, activado remotamente, provoca uma pequena tensão eléctrica que aquece as fibras e o hidrogel do penso, assim, consequentemente, liberta o medicamento na pele.

Este dispositivo tem a capacidade de controlar cada uma de suas fibras e distribuir com precisão a dose dos remédios de acordo com o horário de prescrição de cada um.

“Esta combinação e controlo pode melhorar e acelerar substancialmente o processo de cicatrização das feridas”, afirmou Ali Tamayol, professor de engenharia mecânica e de materiais da Universidade de Nebraska-Lincoln, o que é “uma grande vantagem em comparação com outros sistemas”.

Prevê-se assim que o sistema seja utilizado inicialmente apenas para tratar feridas cutâneas crónicas provenientes de diabetes, que, por norma, têm um longo processo de cicatrização. Também afim de testar a eficácia do curativo.

O penso poderá também ser utilizado em soldados feridos em combate. E, uma vez que tem muita versatilidade e customização, servirá ainda para estimular uma cicatrização mais rápida de feridas de bala e estilhaços ou impedir apenas o aparecimento de infecções em ambientes remotos.

Apesar do sistema ainda ter que passar por alguns testes, os investigadores estão também a trabalhar na incorporação de sensores capazes de medir a glicose, o pH e outros indicadores relacionados à saúde do tecido da pele.

Leave A Reply