Impressão 3D de Alumínio Super Rígido

0

Até agora a construção de algo em metal envolvia um elevado grau de complexidade e de custo, mas tudo poderá estar prestes a mudar, graças à tecnologia de impressão 3D. Tudo se deve ao trabalho de um grupo de pesquisadores dos laboratórios HRL, que conseguiu desenvolver um novo método de impressão 3D que permite a impressão de um alumínio extremamente rígido.

O novo método, que os pesquisadores alcunharam de nano-funcionalização, baseia-se na utilização de pós nano-funcionalizados para imprimir com a impressora 3D, estes são então aplicados em finas camadas que são depois fundidas e solidificadas por um laser, criando o volume do objecto.

Durante o processo de fundição e solidificação, as estruturas conseguem manter a sua rigidez total sem quebrarem, devido às nano-partículas agirem como pontos de nucleação para a futura micro-estrutura de alumínio. O principal objectivo da equipa, foi evitar as quebras devido à alta temperatura, controlando a micro-estrutura, de forma natural à medida que o material atinge o estado sólido.

Hoje em dia já existe produção de alumínio extremamente rígido, mas os custos de produção industrial deste material que é utilizado em peças automóveis e fuselagens de aviões, são nos dias que correm, demasiado altos tornando a sua utilização extremamente limitada a fim de manter custos.

Esta nova técnica irá permitir um crescimento de escala com custos controlados, e permitirá também utilizar alumínio super rígido sob as mais diversas formas e tamanhos, por um valor extremamente menos dispendioso bem como muito menos moroso e ainda com um nível de detalhe superior.

Além disso, permite também, ao contrário do que se passava até agora, soldar materiais que até agora não podiam ser soldados, graças ao processo de nano-funcionalização, abrindo assim portas para novas utilizações de materiais para melhores e mais duráveis produtos, sendo então este, um dos mais importantes desenvolvimentos na industria da transformação e fundição de metal mais importantes, provavelmente do último século.

Leave A Reply