Foram descobertos 2 buracos negros ao lado da Via Láctea

0

Foram encontrados dois buracos negros no “jardim cósmico” da Via Láctea, um deles está a apenas 38 milhões de anos-luz do planeta Terra e “São como monstros escondidos debaixo da nossa cama”, afirmou um dos cientistas.

A NASA descobriu estes dois buracos negros, extremamente massivos, nas proximidades da nossa galáxia, averiguou este Domingo, a agência espacial norte-americana, num encontro da Sociedade Americana de Astronomia. O anúncio chegou apenas uma semana depois de a equipa do Observatório Chandra ter revelado a enorme descoberta de um “enxame” com milhares de buracos negros, todos localizados naquela que é a maior concentração destes corpos alguma vez observada.

Segundo todos os dados recolhidos através do Conjunto de Telescópio Espectroscópico Nuclear (NuSTAR), um desses buracos negros está a 170 milhões de anos-luz da Via Láctea, no entanto, o mais próximo, está a apenas 38 milhões de anos-luz da nossa galáxia. Embora pareçam distâncias extremamente longas, em medidas astronómicas, tal significa que os buracos negros super-massivos estão já localizados “no nosso jardim cósmico”, tal como descrevem os cientistas. Ady Annuar, um dos investigadores, descreve estes buracos negros como sendo “monstros escondidos debaixo da nossa cama”.

Estes buracos negros estão localizados no centro de núcleos galácticos activos, corpos celestes extremamente brilhantes e energéticos da mesma família que os quasares e os blazares. Pudemos observa-los agora, porque as partículas que compõem esses núcleos emitem radiação em todo o espectro de energia electromagnética, tornando-os assim extremamente quentes, como estão rodeados de uma grande nuvem de gás e poeira, esta pode estar a bloquear a chegada dessa energia até nós, tornando assim a sua observação mais difícil.

Uma outra equipa descobriu ainda que o buraco negro mais próximo de nós tem nas suas vizinhanças, uma galáxia com muitas estrelas acabadas de nascer, têm no máximo cinco milhões de anos, enquanto que o Sol, tem cinco mil milhões de anos. Tudo isto causou dúvida e confusão aos cientistas, como podem as estrelas continuar a nascer se o buraco negro suga a nuvem de gás e poeira que é o seu berço.

Leave A Reply