Foram descobertas moléculas de hidrogénio em lua de Saturno

0

A Sonda Cassini detectou algumas moléculas de hidrogénio em Encélado, uma lua de Saturno. Este local é o mais provável para se encontrar vida além de no planeta Terra. Essa vida pode estar no oceano, debaixo da superfície.

Esta descoberta foi anunciada esta esta semana, pela NASA, noticiando este estudo do Souhtwest Research Institute. As moléculas de hidrogénio foram detectadas pela Sonda Cassini, na região polar sul do satélite, essas moléculas têm origem nos processos hidrotermais no oceano que existe debaixo da camada de gelo que constitui a superfície de Encélado. Bem como o carbono, o hidrogénio é um dos elementos essenciais à vida. A par de Europa (lua de Júpiter), Encélado é o lugar onde é mais provável encontrar vida além do planeta Terra, afirmou a NASA.

“A presença de hidrogénio estabeleceu outra referência, afirmando que há actividade hidrotermal no interior do planeta. E isso é interessante porque sabemos pelos nossos oceanos que esses são lugares que pulsam com vida e que foram, provavelmente, um dos primeiros lugares onde a vida surgiu na Terra”.

Essas moléculas de hidrogénio foram detectadas em vapores de água, e, de acordo com as declarações dos cientistas, prestadas na conferência de imprensa na agência espacial norte-americana, esse vapor é produzido pelas reacções hidrotermais entre as rochas quentes do núcleo do planeta e a água oceânica na superfície de Encélado.

Por isto, os cientistas acham que o hidrogénio pode participar na metano-génese, ou seja, num processo feito por alguns microrganismos (como determinadas bactérias) em que a matéria orgânica é transformada em metano e dióxido de carbono. É sobretudo devido à metano-génese que esses seres vivos conseguem sobreviver em ambientes submarinos, com muita pressão, onde a luz solar não consegue penetrar.

Todos estes dados foram recolhidos pela sonda Cassini, em 2015, quando esta ficou a menos de 50 quilómetros do pólo sul de Encélado e conseguiu assim estudar a composição da lua e a sua actividade hidrotermal. Foi utilizado um espectrómetro de massa, uma técnica que ajuda a detectar e identificar moléculas com base na sua massa e estrutura química.

O estudo pode ajudar a compreender se o oceano que existe debaixo da superfície gelada de Encélado pode sustentar vida. A 15 de Setembro de 2017, a Sonda Cassini fará a sua última viagem, indo esta aproximar-se de Saturno e entrar na sua atmosfera até perder sinal com a Terra. Enquanto a sonda resistir à entrada no gigante gasoso, vai continuar a enviar para os cientistas informações acerca da composição da atmosfera desse planeta.

Leave A Reply