Foi descoberto embrião num fóssil de ictiossauro

0

Num fóssil de um Ichthyosaurus, encontrado há mais de 20 anos, que só agora foi estudado, sabe-se, desde já, que se tratava de uma fêmea adulta com mais de três metros de comprimento.

Um fóssil de Ichthyosaurus, um tipo de réptil marinho que viveu durante o período Jurássico Inferior (há cerca de 200 milhões de anos), que foi encontrado na década de 1990, foi agora finalmente estudado. Os vestígios estão quase completos e, segundo adiantam os autores do trabalho, este trata-se do maior fóssil de ictiossauro até agora encontrado.

Mais conhecido como o “dragão do mar”, os ictiossauros estão extintos há já cerca de 90 milhões de anos, no período Cretácico, tendo ocupado os oceanos durante 160 milhões de anos enquanto os dinossauros ocupavam a terra.

Este fóssil foi encontrado há mais de 20 anos na costa inglesa, e desde essa altura estava em exposição num museu na cidade alemã de Hanôver. Manteve-se sem ser estudado ou analisado, até que o paleontólogo alemão Sven Sachs, viu o fóssil em Agosto do ano passado e contactou o colega britânico Dean Lomax, especialista nesta espécie de répteis, para que fosse realizada uma análise aprofundada.

Após terem estudado o exemplar, identificaram-no como integrante da espécie Ichthyosaurus somersetensis, e, segundo o estudo que foi publicado na revista científica Acta Palaeontologica Polonica. Além disso, descobriram que se trata de uma fêmea adulta e que estava grávida na altura da sua morte. O fóssil tem mais de três metros de comprimento.

“Espanta-me que espécimes como este ainda possam ser ‘redescobertos’ em colecções de museus. Não é necessariamente preciso ir para o terreno para fazer uma nova descoberta. Este espécime dá novas luzes sobre o tamanho da espécie, mas é também o terceiro exemplar de um Ichthyosaurus conhecido com um embrião. Isso é especial”, afirmou Dean em comunicado da Universidade de Manchester.

Comment