Esta folha de papel pode filtrar vírus da água potável

0

Os cientistas desenvolveram uma simples folha de papel que pode filtrar minúsculos vírus, resistentes a desinfectantes da água – oferecendo uma forma mais barata de tornar a água potável acessível a milhões de pessoas no mundo desenvolvido.

Apesar de os pesquisadores terem feito um muito bom trabalho ao criar formas simples para as pessoas purificarem a água nos últimos anos, mas têm tido dificuldade em arranjar formas económicas de filtrar vírus da água.

Esta nova folha de papel aborda esse problema utilizando camadas sobre camadas de nanofibras de celulose super-finas – desenvolvidas a partir de algas verdes – e tem sido chamado de “mille-feuille ou filtro ‘mil folhas”, como o bolo de massa folhada francês. Delicioso.

“Com um material de filtragem proveniente da natureza, e utilizando métodos de produção simples, acreditamos que o nosso papel de filtragem se possa tornar numa solução de filtragem de água globalmente acessível e ajudar a salvar vidas”, disse o pesquisador Albert Mihranyan da Universidade de Uppsala, na Suécia. “O nosso objectivo é desenvolver um papel de filtragem que possa remover até mesmo os vírus mais resistentes da água tão facilmente como fazer um café.”

Neste momento, mais de 748 milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável e a saneamento básico – e as infecções transmitidas pela água são uma das maiores causas de mortalidade global, especialmente para as crianças com menos de cinco anos.

Dessas infecções transmitidas pela água, os vírus são particularmente perigosos. São difíceis de remover fisicamente, porque são pequenos e também podem ser extremamente resistentes a desinfetantes, como o cloro, do qual nós dependemos bastante para tornar a água potável.

A filtragem é uma opção mais eficaz e eficiente em termos energéticos de purificação, mas as melhores versões podem ser caras. A celulose, que já utilizamos para fazer coisas como sacos de chá, é uma opção muito mais barata, mas na sua forma regular, os poros são demasiado grandes para filtrar o vírus.

É aí que este novo sistema mille-feuille entra em acção. Ao utilizar várias camadas de nanofibras, o papel fica com poros tão pequenos consegue filtrar todos os tipos de vírus, como a gripe, e removê-los fisicamente. Veja aqui uma imagem microscópica do papel:

115781_web

O melhor de tudo, é que o filtro também é de longa duração e pode ser facilmente distribuído onde é mais necessário – não apenas nos países desenvolvidos.

“A água potável não é um problema apenas dos países subdesenvolvidos “, disse Mihranyan. “Surtos virais maciços também já ocorreram na Europa no passado, incluindo na Suécia.”

Os filtros também poderão no futuro ser utilizados na medicina para ajudar a produzir proteínas terapêuticas e vacinas, acrescenta.

Teri Dankovich, da Duke University, nos EUA, que não esteve envolvido no estudo, disse à Chemistry World que o papel de filtragem “demonstra um grande potencial para a purificação de água a preços acessíveis em áreas remotas”.

Mas acrescentou que é importante que os investigadores determinem a vida útil do filtro até que este se torne inútil.

A equipa está a trabalhar nisso neste momento, e estão também a intensificar o processo de fabricação para se certificarem de que continua a ser barato e fiável.

“Para um produto lidar com um problema tão específico, é importante que exista validação, e re-validação, dos nossos processos”, disse Mihranyan à Chemistry World. “Cada detalhe conta e ainda temos muito a aprender.”

A pesquisa foi publicada na Materials Horizons.

[ScienceAlert]

Leave A Reply