É possível que o tigre da Tasmânia não esteja extinto

0

O tigre da Tasmânia é um animal que se pensava extinto há mais de 80 anos. Um exemplar desta espécie terá sido avistado por diversas pessoas em Queensland, na Austrália.

Parece que o tigre da Tasmânia, animal que se pensava extinto, pode afinal ainda existir. Algumas pessoas relataram ter avistado um animal dessa espécie em Queensland, na Austrália. Esses relatos motivaram a procura de pistas por parte de um grupo de cientistas australianos, segundo publicação no The Guardian.

Bill Laurance, professor da Universidade James Cook e também um dos responsáveis pela recente investigação, admitiu ter falado com duas testemunhas que lhe forneceram descrições e relatos plausíveis sobre o avistamento desse animal considerado extinto desde 1936. Uma das testemunhas era um dos empregados do Serviço de Parques Naturais de Queensland e a outra foi um campista que se encontrava no local. Ambos afirmaram ter avistado um tigre da Tasmânia, pela noite perto da Península de Cabo York, no Estado de Queensland.

“Num caso, os animais foram observados a uma curta distância – a uma distância de cerca de seis metros – com uma lanterna”, contou Laurance, salientando ainda que, embora esta descoberta tenha gerado polémica, o caso está a ser tratado com a maior das descrições.

Os testemunhos e os pormenores desses relatos que foram fornecidos aos investigadores sobre o avistamento animal, como por exemplo a cor dos olhos, o tamanho, o comportamento, a forma do corpo e outros atributos, chamaram a atenção e despertaram a esperança daquela espécie poder vir a ser reencontrada. Durante o próximo mês de Abril, e como parte integrante da pesquisa, os investigadores realizar a instalação de mais de 50 máquinas fotográficas, perto do local onde foi o animal foi avistado, para comprovar se este realmente existe ou se não passa de um mito, segundo o The Telegraph.

Sandra Abell, é também uma das investigadoras da Universidade James Cook que está a levar a cabo o estudo directamente no terreno, considerou que mesmo que não se consigam vir a obter resultados positivos, a pesquisa não será em vão e poderá contribuir para outras pesquisas.

“Existe pouca probabilidade de podermos vir a encontrar tilacinos (nome científico dado ao tigre da Tasmânia), mas vamos certamente conseguir obter dados positivos acerca dos vários predadores que se encontram na área e que poderão vir a ajudar os nossos estudos no geral”, explicou Abell.

Esta espécie, o tigre da Tasmânia, também conhecido como lobo da Tasmânia, pertence à espécie Thylacinus cynocephalus e é proveniente da Austrália e da Nova Guiné. Apareceu há cerca de quatro milhões de anos e acredita-se ainda que a última criatura da espécie terá morrido no ano de 1936, no jardim zoológico Hobart, na Tasmânia.

Até agora, já foram reportados diversos testemunhos de pessoas que alegavam ter avistado o animal, no entanto, nunca havia sido dado importância a esses relatos. No entanto, desta vez, a nova investigação poderá vir a dar forma às suspeitas já descritas.

Comment