Dispositivo Revolucionário permite que homem mexa a sua mão com a mente

0

Um quadriplégico de 24 anos recuperou a capacidade de agarrar objectos, agitar líquidos, passar um cartão de crédito, e sim, jogar Guitar Hero, graças a um novo implante cerebral que lhe permite controlar o movimento muscular nos seus braços, mãos, e dedos apenas com os seus pensamentos.

O dispositivo pioneiro no mundo, chamado NeuroLife, permite que o cérebro comunique directamente com músculos em membros paralisados – contornando com sucesso a espinal medula danificada. E como poderá ver no vídeo abaixo, os resultados são bastante interessantes.

“Nos últimos 30 anos eu tenho estado neste campo, é a primeira vez que conseguimos oferecer uma hipótese real às pessoas que têm vidas complicadas”, diz um dos inventores, Jerry Mysiw da Ohio State University. “Aquilo que estamos à procura é o podermos ajudar estas pessoas a recuperar o controlo sobre os seus corpos”.

O dispositivo NeuroLife – que é basicamente um chip tecnológico com o tamanho de uma ervilha – foi implante num homem de Ohio, Ian Burkhart, no cérebro depois de uma cirurgia que levou 3 horas em 2014. Burkhart estava paralisado dos ombros para baixo há seis anos, depois de um grave acidente de viação em 2010.

Uma vez implantado, algoritmos complexos do chip adquirem e descodificam pensamentos específicos e sinais neurológicos relacionados com o controlo de músculos, e depois emite instruções para transmitir para a manga especial utilizada pelo paciente em menos de um décimo de segundo. Os sensores na manga estimulam os músculos nos membros paralisados para se movimentarem de acordo com essas instruções.


(Vídeo em Inglês)

Mas programar o chip para conhecer os diferentes tipos de sinais cerebrais a interpretar ou ignorar, e depois que eléctrodos na manga devem ser estimulados e quando, não foi uma tarefa fácil – pesquisadores da Ohio State e do Battelle Memorial Institute têm andado a tentar perceber isto durante grande parte da última década. E equipa da Ohio State explica:

“Por exemplo, Burkhart utiliza diferentes sinais cerebrais e músculos para rodar a sua mão, fecha-la ou apertar os dedos para agarrar um objecto. Como parte do estudo, Burkhart trabalhou durante meses utilizando a manga de eléctrodos para estimular o seu antebraço para reconstruir os sem músculos atrofiados de forma a que eles pudessem ser mais responsivos à estimulação eléctrica”.

Estando a trabalhar com este dispositivo há dois anos até agora, Burkhart está a demonstrar progressos incríveis, começando com os simples movimentos para agarrar em 2014, e avançaram para movimentos mais sofisticados como agarrar uma colher e agitar uma bebida, ou mesmo tocar guitarra.

“Durante a ultima década, aprendemos como decifrar os sinais cerebrais em pacientes que estão completamente paralisados e agora, pela primeira vez, esses pensamentos estão a ser transformados em movimento”, disse um dos membros da equipa, Chad Bouton, anteriormente de Battelle. “As nossas descobertas demonstram que os sinais captados dentro do cérebro podem ser transmitidos por um caminho alternativo à espinal medula danificada, permitindo a recuperação de movimento funcional e até de movimento de dedos individualmente”.

Os resultados foram publicados na Nature hoje, e a equipa anunciou que um segundo candidato irá começar a fazer parte do estudo no próximo verão. Eles dizem que o objectivo principal da pesquisa é torna-la num sistema sem fios e disponibiliza-la para todos os tipos de pacientes que sofrem de dados espinais.

Para Burkhart, não têm sido uns anos fáceis a tentar perceber como operar com este novo dispositivo, mas ele entende que é para o seu bem. “Eu apenas acho que é a minha obrigação para com a sociedade”, disse ele. “Se alguém tivesse a oportunidade de o fazer noutro sitio no mundo, eu esperaria que eles pudessem cometer o seu tempo para que todas as pessoas pudessem beneficiar disto no futuro”.

O futuro cada vez parece mais brilhante para pessoas como Burkhart, e não podemos esperar por ver como eles irão progredir.

[ScienceAlert]

Leave A Reply