Dispositivo de 89€ que torna qualquer smartphone numa impressora 3D

0

Temos ouvido falar sobre espetaculares aplicações de impressoras 3D, tais como aparelhos dentários caseiros (não experimente em casa), brinquedos, criações ao estilo Exterminador que nascem de banhos de plástico derretido, e, como já deve saber, orelhas humanas, mas apesar da tecnologia ser mais barata e mais acessível do que nunca, provavelmente não conhece muitas pessoas (se é que conheces alguma) que utilize a impressora 3D em todo o seu potencial.

Se aparelhos como o OLO forem para continuar, tudo poderá estar prestes a mudar. O OLO é um gadget de 89 € que o deixa transformar qualquer smartphone numa impressora 3D, e utiliza a luz do ecrã para processar a suas criações em plástico.

Esta invenção foi estruturada para ser extremamente simples de entender e operar, tem uma bateria própria e é completamente portátil, pesando apenas 780 gramas e medindo 17.2 x 11.5 x 14.8 cm.

Consiste em 3 partes: um reservatório, que capacidade para 400 cm cúbicos de volume de impressão, garrafas de 100 gramas de foto-polímero de resina colorida como fonte para a construção dos seus objectos, e uma tampa mecanizada, sob a qual a bandeja de construção e os controlos electrónicos estão arrumados à justa.

Mas como se utiliza? Primeiro, tem de carregar o esquema para o seu objecto na aplicação OLO para o seu dispositivo móvel (disponível para iOS, Android e Windows) e depois ajustar o seu smartphone à base por baixo do reservatório. Uma peça de vidro polarizado é colocada na base, e o ecrã do seu smartphone ficará virada para lá quando estiver no sítio. Mesmo o grande iPhone 6s+ irá caber lá aparentemente.

Então vem a parte da impressão, explica Drew Prindle no Digital Trends:

“Basicamente, assim que colocar tampa no topo e a impressora começar a trabalhar, a aplicação faz o ecrã do seu telefone se iluminar com um padrão específico. O vidro polarizado depois utiliza toda esta luz (que brilha externamente para ao seu telefone um anglo de visão maior) e redirecciona-o de forma a que todos os fotões se dirijam para cima. Então enquanto o ecrã do seu telefone vai projectando luz para o reservatório, a luz direcionada faz com que uma camada de resina enrijeça na plataforma de construção, que lentamente sobe à medida que cada plataforma é criada“.

Prindle acrescenta que o OLO utiliza as mesmas funções básicas da impressora Digital Light Projection (DLP), mas substitui o grande, e muito caro projector, pelo ecrã do seu telemóvel.

A equipa por detrás da tecnologia também desenvolveu tipo de resina completamente novo para ser utilizado com o OLO. Chamada ‘daylight resin’, foi especificamente desenvolvida para reagir a luz branco que os ecrãs dos nossos smartphones emitem.

Como Stanley Goodner reportou para a Gizmag, ‘pixeis’ específicos de resina serão expostos À luz do smartphone por uma duração específica de tempo para transforma-los de líquidos para sólidos, e o seu objecto é construído pixel a pixel, camada a camada.

“Os utilizadores têm a opção de criar desenhos rígidos, flexíveis, fundíveis, dobráveis ou elásticos imitando substâncias familiares de PMMA, ABS, Cera Rígida, PVC Maleável e Silicone”, diz Goodner. “A aplicação para Smartphone da OLO calcula a quantidade necessária de resina por impressão de forma a minimizar/eliminar o desperdício”.

A utilidade está actualmente a ser financiada no Kickstart, mas aparentemente já atingiu o seu objectivo de 80,000 dólares.

O projecto angariou 507 por cento da sua meta de 80,000 dólares em dois dias, e ainda faltam 22 dias para o fim da campanha, e o projecto atingiu já os 1,400,000 dólares, o que são excelentes noticias.

Os primeiros envios da OLO deverão começar em Setembro.


(Vídeo em Inglês)

[ScienceAlert]

Leave A Reply