Desvendado animal que Darwin não conseguiu identificar

0

Os cientistas já descobriram a que animal pertenciam os fósseis encontrados na América do Sul, que Darwin nunca conseguiu identificar, foi durante largos anos um “animal mistério” para a comunidade cientifica.

Afinal os fósseis pertencem ao “Macrauchenia patachonica”, que viveu há cerca de 20 mil anos.

Este é já um mistério com 183 anos que Charles Darwin nunca conseguiu resolver. Agora, os cientistas alemães, descobriram a que animal pertenciam os fósseis que o naturalista britânico encontrou, por acaso, na América do Sul, numa das suas famosas viagens a bordo de um HMS Beagle. Estes eram afinal, ossos de um Macrauchenia patachonica, um mamífero pertencente à Idade do Gelo, que entrou em extinção há cerca de 10 ou 20 mil anos. Esta descoberta só foi possível depois de se se ter analisado o ADN mitocondrial das células conservadas no fóssil.

No ano de 1834, quando Charles Darwin tinha apenas 25 anos e havia deixado os estudos para viajar pelo mundo, encontrou uma quantidade muito pequena de ossos que nunca conseguiu catalogar. Anos depois, a amostra de fósseis encontrada por Darwin foi entregue a Richard Owen, um reconhecido paleontólogo, mas nem ele encontrou respostas.

Foi agora, uma equipa da Universidade de Potsdam, na Alemanha, que conseguiu analisar o ADN mitocondrial (parte do material genético dos seres vivos que está armazenado nas mitocôndrias das células) das proteínas de colagénio. Partindo desses dados, os cientistas conseguiram descobrir até algumas características físicas do animal.

O Macrauchenia patachonica tinha um pescoço e membros muito alongados e reúne características que hoje encontramos em animais como as girafas, camelos e também elefantes. Ainda assim, a comunidade científica nunca tinha encontrado animais na actualidade que pudessem ter alguma relação evolutiva com o Macrauchenia patachonica. Em suma, isto significava que esta espécie parecia cair do nada na Terra e não ter lugar na Árvore da Vida (que os cientistas designam por árvore filogenética).

A equipa alemã conseguiu ainda recolher novos dados, o Macrauchenia patachonica pertencia a uma linhagem que se separou da ordem Perissodactyla, a que pertencem os cavalos e rinocerontes, há cerca de 66 milhões de anos.

Então porque é que Charles Darwin e Richard Owen, considerados génios do estudo da evolução, não conseguiram chegar a estas conclusões? Na altura, não tinham a tecnologia necessária para isso, explicou Michi Hofreiter, que liderou o estudo.

As cadeias de ADN tendem a deteriorar-se com o tempo, principalmente em ambientes quentes como o que se faz sentir na região onde estes fósseis foram encontrados. Os cientistas tiveram então de “colar” as sequências de ADN que foram encontradas para poderem estudar o animal mistério.

Leave A Reply