Depois de 40 anos como cego, um olho biónico restaurou a sua visão

0

Os médicos deram de volta a visão a um homem, ao implantar um olho biónico em John Jameson, residente no Texas, para restaurar alguma da sua visão depois de cerca de 40 anos de cegueira.

Há quatro décadas atrás, uma infecção agressiva levou a visão de Jameson, e foi a sua esposa, que descobriu a possibilidade da implantação de um olho biónico – um tipo de operação que apenas recentemente foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) nos EUA.

Jameson admite sofrer de alguma visão dupla desde o procedimento, que foi realizado no mês passado em Shreveport, Louisiana, mas acrescenta que a sua visão está a melhorar constantemente à medida que o seu cérebro se ajusta. “Quando eu acordo de manhã, eu gosto de ver a natureza a despertar”, disse Jameson a Alexandra Hart do The Texas Standard.

“Quando somos crianças, e acordamos na manhã de Natal, e caminhamos e vemos as luzes da árvore e os presentes e tudo mais – a alegria que obtém quando isso acontece”, acrescentou. “E agora é isto que me está a acontecer todos os dias, porque todos os dias eu acordo eu posso ver mais e mais.”

Estes tipos de operações ainda são relativamente raros, embora a primeira aprovada pela FDA tenha sido realizada algures em 2014. Este procedimento utilizou uma retina artificial Argus II – uma folha de eléctrodos fixados ao olho que funcionam como um tipo especial de óculos para traduzir o mundo exterior numa imagem que pode ser transmitida à retina.

O Argus II não oferece uma visão normal, em vez disso fornece padrões visuais compostos por flashes de luz – que são suficientes para distinguir os contornos e formas, relata Fergus Walsh da BBC. Não se sabe ao certo, neste momento que tecnologia foi utilizada no caso de Jameson, devido aos médicos envolvidos não terem ainda partilhado essa informação – apesar de no passados terem ocorrido operações semelhantes, é provável que neste caso seja o Argus II aprovado pela FDA II.

O Argus II foi projectado para enfrentar retinite pigmentosa avançada, uma condição ocular genética que danifica as células sensíveis à luz que revestem a retina. Estas células normalmente têm como função enviar os raios de luz através do nervo óptico para o cérebro, sob a forma de impulsos eléctricos.

Para serem elegíveis para um implante Argus II, os pacientes devem ter mais de 25 anos de idade (para os olhos estarem completamente formados), já terem tido uma visão funcional e ter uma deficiência visual suficiente elevada para que o dispositivo possa criar uma melhora significativa. Além disso, os inventores do olho biónico – uma empresa sediada na Califórnia chamada Second Sight Medical Products – espera que a tecnologia possa ser utilizada para tratar uma maior variedade de defeitos de visão.

“Este é apenas o começo”, disse Grace Shen do National Eye ao The New York Times em 2013. “Nós temos um monte de coisas interessantes por revelar.”

Iremos ter de esperar e ver como a visão de Jameson progride com o seu novo implante, e com sorte iremos ter mais detalhes acerca do procedimento no futuro próximo. De qualquer forma, é incrível pensar que este tipo de tecnologia pode melhorar a vida das pessoas em questões tão fundamentais – ajudando a restaurar um sentido, que já não eram capazes de utilizar há décadas.

[ScienceAlert]

Comment